Já está disponível a 3ª edição do VADE MECUM

INSCREVA-SE

NOTÍCIA

  05 de October de 2016

“Modelo político atual está falido”, critica Elmano Férrer em pronunciamento no Senado

O senador Elmano Férrer (PTB) discursou nessa quarta-feira, dia 5, sobre o resultado das eleições 2016. Durante o pronunciamento, o senador comentou sobre a primeira eleição realizada após a proibição total do financiamento empresarial de campanha.

“As eleições de 2016 foram um verdadeiro teste eleitoral. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, no pleito de 2016, os candidatos declararam gastos que somam R$ 2,1 bilhões, o equivalente a aproximadamente a um terço dos gastos de 2012. Essa redução de gastos é positiva. Mas também precisamos aguardar as prestações de contas à justiça eleitoral e aos órgãos de controle, para se saber a dimensão de possíveis recursos não contabilizados”, ressaltou Elmano Férrer.

O parlamentar chamou atenção para o índice de abstenção. “Dados preliminares mostram que 31 partidos vão comandar ao menos uma cidade no Brasil a partir do ano que vem. O número de candidaturas também impressiona. Mais de 496 mil pessoas demonstraram interesse em ocupar uma das 5.5.68 vagas. Contudo, as eleições de 2016 se destacam negativamente pela enorme abstenção dos cidadãos, superando 17,5% do eleitorado, o que equivale a mais de 25 milhões de eleitores. Sem falar ainda dos votos brancos e nulos. Esses dados revelam que o eleitor está enfastiado, incrédulo e desesperançado. Além de comprovar a necessidade da reforma política, que deve ser promovida por este Congresso Nacional”, afirmou o senador.

Elmano disse ainda que “o atual modelo político está falido, recado que nos foi dado desde as manifestações de junho de 2013. Não podemos mais adiar essa reforma, que é fundamental para a sociedade, para a economia e para o futuro da nação”.

O senador chamou a atenção dos colegas que é necessário que a reforma política seja prioridade absoluta. “A credibilidade na política no Brasil está em queda livre. A população não enxerga mais no voto um poder de mudança e capacidade de transformação. Para maioria dos cidadãos, política é coisa distante”, declarou Elmano Férrer.

Para o parlamentar, o financiamento de campanha é um tema que deverá ser discutido novamente e a coincidência dos pleitos. “Outro ponto da reforma que precisamos debater é a coincidência dos pleitos. Esse ano, segundo o TSE, tivemos um gasto de R$ 650 milhões. Em 2012, o valor gasto foi de R$ 483 milhões. Isso são valores apenas dos gastos da justiça eleitoral. No momento que o país vive uma crise fiscal e econômica, tal modelo não se sustenta”, informou Férrer.

O senador finalizou ressaltando a importância da votação da reforma política. “Precisamos resgatar a credibilidade na política brasileira. Não podemos mais postergar uma reforma política de verdade. Um reforma que resgate a confiança do povo brasileiro”, afirmou.