Já está disponível a 3ª edição do VADE MECUM

INSCREVA-SE

NOTÍCIA

  06 de junho de 2018

Elmano Férrer critica política de segurança hídrica do Piauí

Em pronunciamento, o senador defendeu a retomada de obras em adutoras e barragens abandonadas nos últimos anos no estado.

O senador Elmano Férrer (PODEMOS-PI) fez duras críticas à política de segurança hídrica do Piauí, durante pronunciamento no Plenário do Senado Federal. O parlamentar saiu em defesa de um plano de segurança para os municípios que necessitam todos os anos de soluções definitivas, mas ficam à mercê de ações emergenciais.

Para o senador Elmano Férrer, o Piauí precisa de um plano de segurança hídrica. “Nós vamos cuidar das adutoras e barragens que foram abandonadas nos últimos anos. Temos que oferecer soluções definitivas para que as populações destes municípios não estejam, logo, após o período chuvoso, necessitando de ações emergenciais para ter água”, ressaltou o senador.

Elmano listou 10 grandes obras hídricas do estado que estão paralisadas ou nem foram iniciadas. Entre elas, destacou: Barragem Tinguis, em Brasileira; Barragem Atalaia, em Corrente e Sebastião Barros; Barragem de Castelo; Barragem e Adutora de Santa Cruz dos Milagres; Barragem Nova Algodões, em Cocal; Adutora do Litoral, em Parnaíba; Adutora Piaus, de Bocaína; e Adutora do Sudeste.

“Estes exemplos mostram o descaso do Governo do Estado com abastecimento de água no Piauí. É inadmissível: barragens abandonadas, adutoras paradas, enquanto isso, a população fica desamparada e dependendo de carros-pipa ou caminhadas quilométricas a cada período de estiagem”, destacou Elmano Férrer.

Durante o discurso, o senador afirmou que há um paradoxo no estado, pois o Piauí é o estado nordestino, no domínio do semiárido, com maior potencial hídrico. “O Piauí tem uma disponibilidade hídrica da ordem de 9 mil metros cúbicos por ano por habitante. Mais do triplo da disponibilidade per capita da Bahia, que é o segundo colocado”, disse o senador que defendeu ainda uma melhor gestão do potencial hídrico do estado.

Por fim, Elmano Férrer defendeu mais uma vez a Adutora do Sertão, projeto que nasceu na CPRM, e eu busca levar água dos subsolos para até 600 mil habitantes em 51 municípios do semiárido. Para esse projeto, o senador conseguiu a inclusão no Plano Plurianual –PPA 2016-2019 e na Lei Orçamentária Anual de 2017 e 2018.