NOTÍCIA

  14 de December de 2020

Elmano Férrer destaca diferenças entre as obras Federal e Estadual

O parlamentar explicou que são 20,16 km executados pelo DNIT no trecho de duplicação da BR-316/PI.

A duplicação da BR-316/PI, de Teresina a Demerval Lobão, é uma das maiores ações de infraestrutura em execução no Piauí. O senador Elmano Férrer (Progressistas) diz que é necessário esclarecer, no entanto, que existem duas obras de duplicação em andamento na mesma rodovia, ligando Teresina a Demerval Lobão. “Uma é de responsabilidade do
governo federal, executada pelo DNIT. Outra é do governo estadual. São duas obras importantes, mas existem diferenças entre elas. Cada uma tem suas singularidades e não podemos fazer confusão em torno disso”, avisa o parlamentar, que destinou a maior parte dos recursos que viabilizam o trecho federal da obra.

Segundo Elmano, o trecho que vem sendo executado pelo DNIT inicia no km 13 da rodovia e segue até a sede do município de Demerval Lobão. “A obra federal é bem mais extensa, com 20,16 km, e vem sendo realizada de forma célere. Isso merece ser destacado. Iniciamos em agosto, e contrariando as estatísticas envolvendo obras públicas, a gente tem orgulho de dizer que o trecho de duplicação que será concluído antes do prazo de dois anos. Uma demonstração de bom planejamento e de respeito à coisa pública e aos piauienses, que serão os principais beneficiados com esta obra”, comemora o senador.

O trecho sob responsabilidade do estado começa na altura da Casa de Custódia e segue até um pouco depois do posto da Polícia Rodoviária Federal, em direção a Demerval Lobão. No total, são 8,48km de extensão. “O trecho de responsabilidade do Governo estadual, pelo DER, foi iniciado em 2013, ainda na gestão do ex-governador Wilson Martins. E, de lá para cá, enfrentou várias paralisações e vem se arrastando ainda sem uma conclusão”, observa o senador.

As duas obras de duplicação em curso na BR-316 exigem elevados investimentos. O trecho executado pelo governo do Piauí está orçado em R$ 66 milhões, custeado com recursos de empréstimos do Estado do Piauí. E a parte federal prevê investimentos de R$ 73 milhões, sendo que R$ 47 milhões são oriundos de emendas parlamentares do senador Elmano Férrer.