Já está disponível a 3ª edição do VADE MECUM

INSCREVA-SE

NOTÍCIA

  03 de junho de 2019

Elmano Férrer visita obras do Viaduto do Mercado do Peixe

Os recursos dessa obra estão garantidos. Um trabalho que estamos fazendo desde 2015,  que não se restringe apenas a essa. Esse é o primeiro viaduto de uma série previstos no contorno rodoviário de Teresina.

O senador Elmano Férrer realizou junto ao superintendente do DNIT, Ribamar Bastos, e assessores técnicos uma visita às obras do viaduto do Mercado do Peixe, na Avenida dos Expedicionários, que terá extensão de 120 metros, com duas faixas de rolamento, duas de acostamento e duas faixas de segurança. A obra, que iniciou no dia 31 de maio, está com o recurso assegurado e deve ser entregue em oito meses.

“Os recursos dessa obra estão garantidos. Um trabalho que estamos fazendo desde 2015,  que não se restringe apenas a essa. Esse é o primeiro viaduto de uma série previstos no contorno rodoviário de Teresina. A luta nossa é resolver esse problema. Fui prefeito e conheço os graves problemas de mobilidade urbana dessa cidade. Estamos trabalhando em projetos estruturantes para a capital. A obra deve ser entregue em oito meses”, afirmou Elmano.

O parlamentar durante a visita falou ainda sobre a continuidade do projeto. “Estamos trabalhando para prosseguir com os outros viadutos do contorno rodoviário de Teresina. A obra completa do Contorno Rodoviário da cidade abrange um total de 7,6 km”, explicou Elmano Férrer.

Na próxima sexta-feira, dia 07, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas e o diretor-geral do DNIT, Antônio Leite dos Santos Filho, visitarão as obras do viaduto, que visa melhorar a mobilidade da capital. “O ministro e o diretor geral do DNIT vão visitar a obra e ver a situação atual. Isso aqui não pode continuar por mais tempo. E vão percorrer também as duplicações. O Ministro vai assinar também a ordem de serviço da ponte de Santa Filomena, ligando ao Maranhão. Uma ponte que falamos há 20 anos e é fundamental para a região. Já tem em torno de 40% dos recursos”, contou o senador.