Já está disponível a 3ª edição do VADE MECUM

INSCREVA-SE

NOTÍCIA

  04 de abril de 2019

Projeto Ambulatório do Trabalhador de Teresina será implantado em todo país

A ideia executada em Teresina na gestão do ex-prefeito e atual senador, Elmano Férrer, será levada a todo país para garantir consultas e exames no período noturno.

O Projeto Ambulatório do Trabalhador será implantado em todo país, segundo o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta. A proposta foi criada em 2012 durante a gestão do ex-prefeito de Teresina, atual senador Elmano Férrer (PODEMOS-PI). O parlamentar e o ministro estiveram reunidos para tratar da proposta que tem como objetivo oferecer ao cidadão, usuário do SUS, a opção de consultas em várias especialidades e exames no período noturno.

No dia 14 de março, o senador Elmano Férrer apresentou o projeto pioneiro em Teresina ao presidente da República Jair Bolsonaro, que manifestou imediato interesse em implantar a ideia do terceiro turno nos postos de saúde de todo país. “O Ambulatório do Trabalhador foi concebido para atender as necessidades e problemas assistenciais observados em Teresina. Uma parcela dos pacientes que necessitam de atendimento encontra dificuldade para sua obtenção, em função do tempo de espera e do horário de atendimento diurno”, afirmou o senador.

O ministro da saúde destacou que a ideia já deve ser iniciada ainda neste mês de abril a fim de ampliar o acesso as unidades de saúde e diminuir a superlotação de UPAs (unidades de pronto-atendimento) e de prontos-socorros em hospitais, com foco inclusive na prevenção de doenças como hipertensão e diabetes. Com a ampliação, casos menos graves seriam redirecionados às unidades de saúde. A ideia é incluir vacinação, exames básicos e raio-X.

Em Teresina, o Ambulatório do Trabalhador funcionava de segunda a sexta-feira das 18h às 22horas, em quatro unidades, oferecendo consultas nas especialidades de clínica médica, cardiologia, dermatologia, gastroenterologia, ginecologia e obstetrícia, psiquiatria, psicologia, entre outras, além de exames em diversas áreas e vacinação.

A proposta do Governo Federal é tornar a política sobre o tema a nível federal, com estimativa de que ao menos 600 unidades no país já ofereçam atendimento até as 20horas.